Buscar

Enquanto Sanepar lava a baia, Ponta Grossa toma água suja

Para o Deputado Requião Filho, falha no tratamento de água entregue aos consumidores dos Campos Gerais reflete a falta de investimentos da estatal.

Requião Filho cobra melhorias no atendimento da Sanepar em Ponta Grossa | Foto: Dálie Felberg

Um foco grave de poluição na represa dos Alagados, em Ponta Grossa, pode ter sido a principal causa de aparecimento de microcrustáceos nas torneiras dos moradores. Especialistas do Departamento de Geociências da UEPG fizeram a coleta das amostras e comprovaram que os bichinhos só apareceram na rede hídrica da região pela falta de um tratamento adequado pela Sanepar e falhas graves na gestão das Secretarias do Meio Ambiente, estadual e municipal, além do Instituto Água e Terra.


Para o Deputado Estadual Requião Filho o fato comprova a ânsia da estatal em arrecadar os lucros para seus acionistas, ao invés de reinvestir em melhorias para atender a demanda do sistema de tratamento da água que é entregue aos consumidores.

“Tudo leva a crer que a Sanepar não investiu no tratamento da água de seus reservatórios, nem na captação adequada. Visa apenas lucro e não investe no produto que ela oferece. Mesmo numa pandemia, não poupou esforços para aumentar as tarifas, mas virou as costas para os paranaenses na hora de entregar água de qualidade nas torneiras da população”, criticou.

Requião Filho cobrou um posicionamento da estatal e aguarda uma solução para o problema das famílias afetadas o mais breve possível.

0 visualização