Buscar

Requião Filho leva denúncias sobre Atividade Paraná ao MP

Prova é suspeita de ser cópia de outra realizada em Minas Gerais, além de apresentar instabilidade no sistema, prejudicando o acesso dos alunos.


O deputado estadual Requião Filho, juntamente com a bancada de oposição da Assembleia Legislativa do Paraná, apresentou representação ao Ministério Público Estadual (MP-PR) solicitando que sejam apuradas, com urgência, as denúncias de irregularidades relacionadas à aplicação da Atividade Paraná Diagnóstica. A nova avaliação, aplicada aos alunos da rede estadual, veio para substituir a Prova Paraná que, até então, era realizada anualmente pela Secretaria da Educação (Seed). Desta vez, o foco está em medir a qualidade do ensino das escolas públicas paranaenses durante a pandemia do coronavírus.


Dentre os problemas apresentados pelos estudantes, estava o fato do site da prova ter ficado indisponível durante toda a manhã, em razão do volume de acessos simultâneos, o que impediu a realização do teste; e o mais grave, as provas aplicadas no Paraná são idênticas aos exames aplicados em março em Minas Gerais, de forma que os gabaritos estavam disponíveis na internet desde o início do teste. Com isso, os gabaritos foram amplamente compartilhados nas redes sociais e estavam disponíveis aos estudantes durante toda a realização da avaliação.

Os parlamentares solicitaram também, no Pedido de Providências, que o MP-PR apure as circunstâncias da contratação da UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) – CAEd (Centro de Políticas Públicas e Avaliação), pelo valor de R$ 13,4 milhões com dispensa de licitação, para aplicar a prova aos estudantes paranaenses pela Seed.


"O Governo do Paraná precisa explicar o motivo da similaridade das provas dos dois Estados. Se for comprovada a cópia é um fato grave! Pagamos por um serviço ‘inédito’, exclusivo, não por uma cópia de algo que já foi aplicado em outro lugar”, criticou Requião Filho.

Assinaram o Pedido de Providências os deputados Arilson Chiorato (PT), Goura (PDT), Luciana Rafagnin (PT), Professor Lemos (PT), Requião Filho (MDB) e Tadeu Veneri (PT).


1,447 visualizações