top of page
Buscar

Ratinho vai colocar no colo do Governo Federal a culpa pelas altas tarifas do pedágio

“O governador vai dizer que as obras do pedágio são obras do Paraná,'terra de gente que trabalha' e, quando o paranaense gritar com o preço do pedágio, vai dizer que a tarifa é culpa do governo Lula”, destacou o parlamentar sobre as novas concessões.

REQUIÃO FILHO | FOTO: COMUNICAÇÃO ALEP

“O povo do Paraná vai sangrar mais 35 anos com este modelo de pedágio. Vamos à Justiça, vamos ao Papa, vamos procurar o Buda, mas não vamos aceitar um pedágio que vai prejudicar o Estado!”, disse hoje (8) o deputado Requião Filho (PT), líder da oposição, em discurso na Assembleia Legislativa (Alep). Na semana passada, o governador Ratinho Junior (PSD) e o presidente Lula (PT) assinaram o convênio que repassa as rodovias do Paraná ao Governo Federal, autorizando as rodovias do Estado a entrarem no pacote de concessões do novo pedágio.

O novo modelo foi elaborado pelos governos Bolsonaro e Ratinho Jr. nos últimos anos e apresenta tarifas mais caras; 15 novas praças, passando de 27 para 42 pontos de cobrança; e 35 anos de contrato. Para Requião Filho, “o governador Ratinho Jr. segurou o quanto podia a nova concessão para não atrapalhar sua eleição e a de Bolsonaro, mas agora tem pressa para efetivar o acordo” e “o jogo agora é colocar no colo do governo federal a culpa pelas altas tarifas”.


“O governador vai dizer, através da mídia, que as obras do pedágio são obras do Paraná, ´terra de gente que trabalha´. E quando o paranaense gritar com o preço do pedágio, quando a indústria gritar com o preço do pedágio, quando o agro gritar com o preço do pedágio, a imprensa do Paraná, junto com a família do governador, que faz parte desta imprensa, vai dizer que a tarifa do pedágio é culpa do governo Lula. O governo Lula aceitou um pedágio que foi montado pelo governador Ratinho, pelo então presidente Bolsonaro, junto com o G7 e inúmeras isenções fiscais”.


O líder da oposição disse também que o novo pedágio vai prejudicar a população e reduzir a competitividade da economia do Paraná frente aos demais Estados.

“Como poderemos trazer novas empresas, novas indústrias, com um custo de logística absurdo por conta do pedágio? Com tarifas de água e luz mais caras do Brasil? Com a alíquota base do ICMS mais cara do País? Vamos continuar sendo um ´fazendão´. Não teremos indústrias, não teremos empresas, não teremos geração de emprego e riqueza em nosso Estado. Mas a propaganda estará bonita, e os sócios do pedágio muito satisfeitos. E digo mais, da maneira como será feita, tenho para mim que os sócios do Paraná no pedágio serão bem conhecidos nos corredores do Palácio Iguaçu”.

Assista a íntegra do discurso do deputado Requião Filho:


53 visualizações

Comentarios


bottom of page