top of page
Buscar

Oposição se mobiliza contra pacote de maldades do governo Ratinho Jr.

Mais impostos, terceirizações e maldades estão nos planos do novo mandato no Palácio Iguaçu.

Oposição unida contra maldades de Ratinho JR | Foto: Orlando Kissner

Depois de aprovar na semana passada a entrega do controle acionário e consequente privatização da Copel, o governo Ratinho Jr. pretende aumentar impostos; criar 495 novos cargos comissionados para acomodar aliados; aumentar salário de secretários; privatizar hospitais; terceirizar o sistema penitenciário; terceirizar todas as atividades do Estado; permissão para doar, comprar e vender imóveis sem autorização legislativa; retirar a autonomia administrativa e financeira da Biblioteca Pública, Colégio Estadual e TV Educativa, entre outras medidas.


As propostas estão no pacote de maldades apresentado pelo governo Ratinho Jr. e que está tramitando na Assembleia Legislativa (Alep).


Nesta terça-feira (29), os deputados de oposição criticaram o autoritarismo e intransigência do Poder Executivo ao apresentar dezenas de projetos prejudiciais ao Estado, todos em regime de urgência, sem qualquer discussão prévia. Os parlamentares apresentaram uma série de emendas para corrigir os projetos de lei, pediram vistas nas Comissões internas e prometem combatividade no plenário para barrar as medidas.

O deputado Requião Filho ressaltou que a proposta que aumenta salário de secretários e cria quase 500 cargos comissionados para “amigos” do governador revela que o Ratinho Jr. não está, de fato, preocupado com a população.


“Estamos vendo ser aprovados, a toque de caixa, projetos de lei que aumentam os impostos, ampliam gastos do Executivo, e tudo isso disfarçado de ‘reforma administrativa’. O povo infelizmente escolheu um governo que não está preocupado com a população, autorizando a contratação de 500 novos cargos comissionados, aumento de salários para secretários e amigos do governador e muito mais. A boiada está passando e a maioria dos deputados aprovando tudo, de uma só vez. Isso tudo porque os paranaenses não queriam votar no PT, mas a conta chegou”.

Confira um resumo dos principais projetos do pacote de maldades do governo Ratinho Jr. em tramitação na Alep


Reorganiza a estrutura administrativa do Estado, criando 9 novas secretarias e 495 novos cargos na estrutura do Poder Executivo. Também extingue o status de órgão de Regime Especial do Colégio Estadual do Paraná; Biblioteca Pública do Estado e Rádio e Televisão Educativa do Paraná, retirando a autonomia financeira e administrativa dos órgãos. A bancada apresentou amendas para garantir o Regime Especial para os três órgãos.


Aumenta a alíquota modal do ICMS de 18% para 19% e aumenta de 16% para 25% a alíquota do ICMS das águas gaseificadas, adicionadas de açúcar ou de outros edulcorantes ou aromatizadas, refrigerantes, refrescos e outros, cervejas sem álcool e isotônicos. A bancada apresentou emenda para impedir o aumento do ICMS.


Autoriza o Estado a terceirizar serviços, por meio de Parceria Público Privada, no âmbito do sistema penitenciário. A bancada apresentou emenda para impedir que o Estado realize a contratação de terceirizados, por meio de parceria público-privada, para atuar nos presídios, reforçando a vedação da terceirização quando está envolvida a atividade fim da Polícia Penal.


Privatiza três hospitais do Estado, autorizando o Poder Executivo a conceder o direito real de uso de bem imóvel do Hospital Regional de Telêmaco Borba; Hospital Regional de Ivaiporã e Hospital Regional do Centro-Oeste Deputado Bernardo Guimarães Ribas Carli, situado em Guarapuava. A concessão se dará mediante processo licitatório, pelo período de vinte anos, admitida a prorrogação por igual período, para pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, declarada de utilidade pública e de interesse público por Lei anterior ao termo de concessão e que atenda a todas as regras previstas em edital. A bancada irá apresentar emendas para barrar a privatização dos hospitais.


Permite a terceirização de todas as atividades do Estado, revogando dispositivo da Constituição Estadual que veda a contratação de serviços de terceiros para a realização de atividades que possam ser regularmente exercidas por servidores públicos, como cobrança de débitos tributários do Estado e dos Municípios. Também amplia a possibilidade do uso gratuito e doação de bens Imóveis do Estado e revoga dispositivo da Constituição que condiciona a compra e venda de bens imóveis pelo Estado à aprovação do Poder Legislativo. A bancada irá indicar um membro da participar da Comissão Especial e apresentar emendas contra a proposta.


34 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page