Buscar

Já vencemos homens maiores, que se dizem melhores e mais "imbatíveis”

Não acredito no clima “já ganhou” que se faz em torno de um candidato. Até o dia do voto tudo pode mudar

POR: REQUIÃO FILHO

As pesquisas eleitorais continuam sendo publicadas e, nelas, vemos a história se repetir. Dessa vez, o pré-candidato ao Governo do Estado, Roberto Requião, tem como seu maior opositor o atual Governador, Ratinho Júnior. E mesmo diante dos números que se apresentam, nada é definitivo, tudo é transitório. Afinal, sequer começaram a apresentar suas propostas, ou a debater - frente a frente - assuntos sérios que dizem respeito ao Paraná.


A história política do nosso Estado é permeada de grandes figuras lendárias e tidas como “imbatíveis”. Jaime Lerner, apenas para exemplificar, foi um desses atores, e merece todo nosso respeito.


Lerner tinha uma visão ímpar de desenvolvimento para nosso Estado. No entanto, em seu auge, era considerado imbatível nas urnas, inalcançável em sua grandeza e inabalável em suas convicções. O ano era 1985, Lerner pretendia a reeleição para a Prefeitura de Curitiba e saía na frente em todas as pesquisas.


Requião, então praticamente desconhecido, acabou vencendo as eleições, superando todas as previsões a seu desfavor. Bem parecido com o cenário que temos hoje, onde o pré-candidato a reeleição é Ratinho Júnior. Com todo o respeito, não possui a grandeza de Lerner, tampouco imbatível quanto ele era, só coincide com ele por estar à frente nas pesquisas e ter a máquina na mão. Natural já começar à frente dos demais postulantes ao cargo de Chefe do Executivo.


Por outro lado, temos um pré-candidato que o povo paranaense já conhece, o Requião. E a população, diante da crise que estamos sofrendo, jamais deixaria em segundo lugar quem tanto fez pela sua gente. O povo não esquece e sabe quem foi o autor de programas sociais emblemáticos como o Leite das Crianças, Trator Solidário, Panela Cheia e tantos outros.


A população não esquece o Requião, que implantou o maior salário mínimo regional do país, das tarifas baratas de luz e água, dos empregos gerados e da qualidade da Educação.


A esperança de termos de volta um Paraná para todos está batendo a nossa porta outra vez. Será que vamos, novamente, deixar essa chance passar? Já vencemos candidatos maiores, que se diziam melhores e "imbatíveis".


Por isso digo e repito, não acredito no clima “já ganhou” que se faz em torno de um pré-candidato em momentos de pesquisa, até o dia do voto, onde tudo pode mudar e o Paraná voltar a ser feliz de novo.


As pesquisas continuarão chegando. As previsões podem ser, às vezes, ruins. Mas quem decidirá o futuro, são os paranaenses.


***

Artigo publicado originalmente em Blog do Esmael.

202 visualizações

Posts recentes

Ver tudo