Buscar

Deputados se posicionam oficialmente contra modelo híbrido de pedágio

A Assembleia Legislativa protocolou na ANTT um manifesto com as conclusões das audiências públicas realizadas pela Frente Parlamentar sobre o Pedágio. São 11 pontos que os deputados estaduais, após ouvir a população paranaense, pedem a mudança no edital proposto pelo Governo Federal para as rodovias do Paraná.

O Paraná tem atualmente 27 praças de pedágio, em 2,5 mil quilômetros de estradas. São contratos que encerram em novembro de 2021. O novo modelo proposto prevê licitar 3.327 quilômetros de rodovias estaduais e federais em seis lotes. Serão 42 praças de pedágio, 15 a mais do que atualmente, num prazo de concessão que tem validade de 30 anos.


O Deputado Estadual Requião Filho falou com a equipe da TV Assembleia sobre o assunto:


Assista:

Requião Filho relata que já foram encaminhados dois pedidos de providências ao Tribunal de Contas da União e Ministério Público Federal, para que se atentem às falhas presentes nos novos contratos. Em destaque, às obras existentes nesse novo projeto e que já foram pagas nos últimos 24 anos, mas não foram concluídas.

"Temos que cobrar que elas aconteçam, sem uma nova arrecadação! Preço justo no Paraná seriam 20 anos sem pedágio, com as obras de 20 anos atrás sendo concluídas! Em muitas praças, poderiam abrir as cancelas do pedágio até o fim dos contratos que, nem assim, cobririam o montante que elas receberam a mais. Mas o Governo Estadual segue omisso, sem tomar uma atitude em defesa do Paraná".

Segundo análise do deputado, os investimentos que as novas concessionárias de pedágio farão em 30 anos correspondem a apenas 27% do valor arrecadado em 30 anos. De R$ 156 bilhões, somente R$ 42 bilhões serão revertidos em obras.

187 visualizações