Buscar

Audiência Pública discute os desmontes no Banco do Brasil

Governo Federal demonstra interesse em privatizar a instituição financeira.|

Uma audiência pública realizada na Assembleia Legislativa do Paraná nesta terça-feira (13) debateu uma série de desmontes ocorridos nos últimos anos no Banco do Brasil. Na visão dos participantes, as intenções do Governo Federal, ao fechar agências e promover demissões na instituição, é demonstrar uma falsa ineficiência do serviço público para promover a privatização do Banco do Brasil.

A audiência remota foi proposta pelo deputado Tadeu Veneri e reuniu políticos, deputados, representantes de federações bancárias e de entidades sindicais. Para o deputado estadual Requião Filho, a luta pelo banco público é algo de fundamental importância.

“Temos que mostrar a necessidade e eficácia do banco público, e levar essa informação às pessoas, que precisam saber de fato o que esse banco representa para o país”.

O ex-governador do Paraná e ex-senador Roberto Requião também participou da audiência e reafirmou a dependência da agricultura do País do Banco do Brasil.

"O Banco do Brasil sustenta nosso agronegócio. Sem ele, a agricultura não produziria o que produz. Os fundos de investimento estão se jogando em cima das empresas públicas para lucrar. O desmonte se dá em três pontos: precarização do Estado, do parlamento e do trabalho. O problema com o Banco do Brasil é com o capital financeiro. O Banco do Brasil tem de estar a serviço do Brasil e não de fundos financeiros ou de investidores do mercado", reforçou.


Apenas no ano passado, 5500 postos de trabalho foram encerrados no Banco do Brasil, com uma série de agências bancárias fechadas. A estimativa é que, desde 2016, cerca de 17 mil funcionários perderam o emprego no banco.


Assista na íntegra:

Por: Thiago Alonso (ALEP) e Assessoria Dep. Requião Filho

36 visualizações

Posts recentes

Ver tudo