top of page
Buscar

Audiência Pública debate situação do Hospital Regional de Guarapuava

Vereadores da região denunciaram que Governo Estadual interceptou representantes da base para não participarem do debate na Assembleia.

Audiência Pública

Por proposição do Deputado Estadual Requião Filho (PT), a Assembleia Legislativa do Paraná realizou na manhã desta terça-feira (18) uma Audiência Pública para debater a situação do Hospital Regional de Guarapuava. Meio milhão de habitantes é o número aproximado da população que deveria estar sendo atendida pela unidade de saúde, construída na última década, mas que se encontra inacabada e com graves problemas estruturais.


Além do deputado proponente, também estiveram na composição da mesa os deputados Cristina Silvestri, Dr Antenor e Arilson Chiorato; o presidente da Câmara Municipal de Guarapuava, Pedro Moraes; os vereadores de Guarapuava Beatriz Aparecida Neves, Cris Wainer, e Professora Terezinha; o vereador de Pitanga, Rodrigo Cordeiro Teixeira; a presidente do PT de Guarapuava, Neuza Scos; o ex-provedor da Santa Casa de Irati, Germano Strasman; Juarez Camargo e Altair Angelo, do Conselho Municipal de Saúde de Guarapuava.


No entanto, nenhum representante do Governo participou da Audiência Pública por motivação política. Segundo os vereadores, representantes da base teriam sido interceptados e sofreram ameaças, caso participassem do debate promovido pelo líder da oposição na ALEP. Requião Filho deu início aos trabalhos na audiência justamente nominando os ausentes e destacando a falta de interesse do governo em resolver os problemas que afetam a população na região de Guarapuava.

Ao final da Audiência, foram definidos alguns encaminhamentos. De acordo com o deputado Requião Filho, haverá um pedido para a presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, Márcia Huçulak (PSD), para uma visita à Guarapuava como forma de conhecer a realidade dos hospitais locais.

Também deverá ser realizada uma reunião na região com a convocação dos Conselhos Regionais de saúde para aprofundar ainda mais o assunto. Além do envio de ofícios ao Ministério Público e à Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Estado do Paraná (FUNEAS).


Assista na íntegra:

Galeria de imagens:

Crédito: Eduardo Matysiak


146 visualizações

Comments


bottom of page